quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Sopa de letrinha

Este teria sido o nome deste blog caso um amigo nosso há anos não promovesse em São Paulo um evento maravilhoso com tal título. Imaginem, ele faz um encontro entre poetas e declamantes, poemas são pendurados pelas paredes e, ao final, uma soberba sopa é servida.
Se eu morasse lá, certamente frequentaria!
Já frequentei um lugar assim, mas era com pizza, chamava-se Versos Noturnos, lá no Catete (Rio) muito gostoso. Democrático. Gente de todos os sexos e idades em prol da poesia, sua e alheia. Lembro-me particularmente de uma velha senhora negra magrinha, parecia saída de uma ilustração de Debret, com seus cabelos brancos, óculos, munida de uma antologia poética ia ao microfone e nos presenteava com os grandes mestres. Por prazer. Ganhei um prêmio até com o poema Terra. Bem legal.
Pronto, já estou dispersa!
Há quem odeie sopa como a personagem Mafalda.
Há quem goste. Há quem dela precise. E esse é o grande barato da sopa, pois serve aos bebês, aos doentes, aos desdentados. Fácil de ser feita.. Ah? É verão? Calor? Desculpe, moro no alto das montanhas , mil e trezentos metros acima do nível do mar! Mesmo no calor, à noite, a sopa pode ser bem-vinda (tiraram o hifen? Ajuda!) Mas sei que há ótimas sopas frias! Esta, por exemplo, linda, fiz quente, mas cairá bem se fria.
A sopa tem disso, serve para tudo! A literatura é cheia dela! No meu relidíssimo exemplar de A Casa do Anjo da Guarda, logo no início, após terem comido um naco de pão duro tirado do alforje do soldado, os meninos se regalam com um esperado prato de sopa, queijo e rabanetes.
Já Oliver Twist,em sua crucial fome, tem seu destino maldosamente perfurado por ter ousado no cruel orfanato inglês a pedir para repetir o ralo prato de sopa cozinhado com água e cereal, (a cebola entraria duas vezes por semana). Mais tarde, doente, assim que recupera um pouco sua força, é um forte prato de sopa que ajuda sua saúde.
Os exemplos são inúmeros!
Gosto de sopa, e, mais do que isso, ela gosta de mim. Ela me dá vitaminas e me emagrece, É um jeito de não engordar demais tomar apenas um prato de sopa como jantar.  E a minha é linda, feita de frescos legumes tirados no dia, da minha horta. Raramente acrescento batatas. Mas, para que fique realmente gostosa, sem acidez, é importante que haja ou batata, ou inhame, ou couve-flor , ou os três. No mais, cenoura, imprescidível. Um pedado de peito de frango (ou músculo, por aqui é difícil encontrar músculo para comprar, não entendo bem porquê)  Se não gostar em pedaços, bata tudo no liquidificador. Por cima, um queijo ralado ..hum.. Ainda, uns pãezinhos  torrados, que hoje se chama chiquemente de crouton, mas pode ser feito no forno de microondas, passa manteiga ou margarina em fatias de pão de forma, pode ser dormido, e corte em cubinhos. Salpique queijo parmesão. Coloque no forno de microondas por um minuto, revire, se ne necessário, mais um pouco e.. Queimou!  Tem importância não, cate os carvõezinhos e coma o resto em cima do creme de legumes!
P.S. Hoje recebi um mail de uma fã mirim que escreve histórias. E essa é sobre comida!

3 comentários:

Beta disse...

Angela, cheguei aqui através do Mundo de Sabor e amei o que vi.
Ahh que jeito gostoso de escrever, isso é dom mesmo! Parabéns!
Me encantei e fiquei!
Bjs e feliz 2011

angela disse...

Oba!! bem-vinda!

Gina disse...

Angela,
Muito prazer! Você chegou até o meu blog por causa do Pluft e foi ele que me fez chegar até aqui. Que satisfação!
A Mafalda vai aparecer no meu post de amanhã.
A respeito do seu perfil, devo dizer que também já desenhei, pintei e bordei...
Também moro em terra alta e fria, por isso as sopas podem perfeitamente ser consumidas no verão. E por falar neste, é a estação mais esperada por mim, já que sou do Rio (fluminense). Pronto, já me apresentei e vejo que temos várias coisas em comum.
Quanto à sopa de letrinhas, veja esse post:
http://nacozinhabrasil-gina.blogspot.com/2009/04/ao-pe-da-letra.html

Bjs,
Gina