terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Restos

Fiquei boa!!! Viva a acerola!

As coisas sobram. No colégio de freiras eu levava bronca se não usasse o caderno até a última folha e eu ADORAVA caderno novo! Caprichava na caligrafia da primeira página, sublinhava títulos com lápis de cor, fazia margem.. Depois, como tudo na vida, virava zona. E detestava final de cadernos, aquelas folhinhas magras, amassadas , com a orelha revirada.. Ah.. Mas aí a freira escrevia em sua caligrafia comportada: A economia  é uma virtude sei lá, o desperdício.. Sei lá. Acho que a gente ia pro inferno se jogasse coisa fora. E hoje em dia é a tal da reciclagem, se a gente não vai mais pro inferno somos incorretíssimos, não merecemos um lugar na pracinha e olham pra gente fazendo "humpf".

E haja bolinho e pastel!

Então, se sobrou arroz faço waffle! Lá em casa de dizia "ueifel" mas aprendi nos States que se pronuncia Uófol. E é assim que falo, muito chique. Ninguém entende, mas eu repito e aí na lanchonete tiram o lápis da orelha e anotam: ah.. Ueifer!
Sou boa nisso. Tenho uma receita bárbara para o café da manhã do meu filho de 30 anos. Ele ama waffle e sempre faço quando ele vem aqui.  Um dia eu conto.
Agora vou falar do de resto de arroz. O bom mesmo leva queijo ralado . Descobri que arroz batido no liquidificador com tempero fica com cheiro e gosto de hipoglós então Não Faça isso!!
Misture o resto de arroz com um resto de ovo, pode ser só clara, meia, só pra grudar, e um pouco de farinha e o tempero que quiser. Se ainda não estiver grudento, um pouco de leite desnatado. Ele pode ser comido puro, como sanduiche pois substitui o pão. ó, com frango desfiado e um creminho fica show!
O meu aparelho é black and decker, recomendo. Tenho um de coração do Shoptime que é uma droga. Gruda tudo no teflon, não tem tranca para fechar. Não comprem. 

O engraçado é que ontem assisti a uma comédia romantica chamada Marido Por acaso, bem legalzinha. E nela só aparece café da manhã! A protagonista  é acordada pelo namorado com um café comprado pronto; o pai dela produz umas panquecas com umas coisas (eu vi sem óculos) que vou assistir de novo pra descobrir e ela, quando descobre o verdadeiro amor ( me lembrou o programa do Raul Longras, casamento na tv, a moça dizia: que seja honesto, trabalhador, adote meus filhos e que seja bombeiro) que era bombeiro, ela prepara um waffle que queima. Como alguém pode queimar um waffle se a máquina tem termostato?Fora isso ela toma um porre e nunca termina as refeições. Já o namorado come doce sem parar.

Quando criança, se eu queria um waffle eu tinha de ir na Cirandinha ou nas Lojas Americanas. Só eles tinham.  Nos States, eram prontos, congelados, enfiavam-se nas torradeiras (assim como uma deliciosa torta de canela) Ninguém tinha máquina de waffle, quando havia era uma Faet que despencava, torrava de um lado  outro ficava cru, não dava certo.
Aí surgiram as americanas.. E agora já existem! Faço waffe de várias sobras, mas o de arroz é campeão.

Um comentário:

Gina disse...

Waffle de arroz é novidade pra mim.
Já tive um Faet, mas um dia eu disse "vai com Deus!"
Bjs.