sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Rosa de plástico

Minha avó cega tinha o enfeite mais lindo , para mim então criancinha, do  mundo: um centro de mesa todo espetado de rosas de plástico amarelas! 
Eu achava fascinante!
Continuo curtindo coisas artificiais mas acho que está rolando um exagero..
Pronto: lá vou eu falar mal de novo!
Perdão! Mas quando gosto de algum livro ou filme eu  só digo: é bárbaro, delicioso, genial etc. Porque eu quero que vocês tenham a mesma experiência maravilhosa que tive sem eu estragar a surpresa. Já quando eu não gosto, escrevo laudas! Não só para justificar o meu desagrado como também pra encontrar eco. Outra pessoa pode não ter gostado e aí a gente fica de fofoquinha! É muito chato falar mal de alguma coisa sozinha.

Pois é, ontem vi o dvd do comer rezar e amar,Ó que droga, a única coisa que o livro tinha de bom era o fato de ter passagens muito engraçadas. O filme nem isso.
E tudo é artificial como a as rosas da casa da minha avó cega! O brasileiro é uma coisa.. Aliás, acho que o Javier Bardem vai ser o Anthony Queen do momento. Vai fazer papel de indio, grego, italiano..  Ele não acerta uma entonação brasileira. Já, estranhamente, o rapaz que faz o filho australiano solta um "eu também" perfeito!
Pra mostrar que ele é brasileiro ele cumprimenta sempre com OI.Quando fala "falsa magra" o sotaque é de português. Saudades , então..

Mas isso não é problema, não  mesmo.  Estranho foi Roma ter virado maquete e jogo de videogame e Bali ter se transformado na casa do Bambi.  E a cara da Julia Roberts está estranha.. O lábio superior ficou esquisito e uma sobrancelha diferente da outra ( tenho uma questão com sobrancelhas) Mas, até aí, tudo bem.. É filme ,Angela..dá um tempo. Mas..e as comidas? O capuccino não deu pra ver, só o mil folhas.. 
Aliás, viram o filme Banquete de Amor? Não tem nada a ver com comida, é sobre várias formas de amor e encontros e desencontros. E um dos personagens é dono de um café.. Ah.. O capuccino dele é lindo! Serve na xícara e a espuma faz um desenho. No caso acho que era um símbolo feminino.. Taí, esse é um filme ruim, acho que homem não aguenta assistir, mas as questões são interessantes. É  pretencioso, sem dúvida,  o personagem principal é Morgan Freeman mais uma vez fazendo papel de branco. Ele é o negro de plantão da cinematografia americana. O quê? Esquecemos de ter um personagem negro? Vamos ser processados! Chama o Morgan! Ele vai ser o presidente! Vai ser Deus! Vai ser o chefe! Caramba, até no Robin Hood inventaram um papel de destaque pra ele... Denzel Washington não é assim. Denzel faz papel de negro.  Também faz outros papéis mas é engajado, não fecha os olhos como se preconceito não existisse. E é lindo, né?Acho que Morgan fez o Mandela só para ser  a exceção da regra. Enfim..  Mas trabalha bem , sem dúvida alguma.  Assisti. Mas o melhor foi o primeiro capuccino. O segundo não, a xícara estava suja.

Sobre o que eu estava mesmo falando? Ah! O macarrão do filme comer amar e rezar! Não dá pra ter vontade de comer nada  com aquele filtro! Aí na foto até está bonitinho, mas no filme..  Será que os filtros estão em liquidação? Estão usando tantos filtros sépias, cinzas, verdes estranhos..  E por que será que eles tem essa mania de macarrão? Será que é considerado exótico?


Pois é, e eu tinha na geladeira um restinho de  macarrão de letrinha..acho lindo esses macarrõezinhos de estrelinhas, letrinhas, bichinhos! Sobra de um consomê da véspera.  Virou waffle! É, gostoso! Um pingo de leite, um ovo de codorna e um pouco de queijo ralado!  Já estou bolando os recheios.. Hum.. Molho de tomate, orégano, requeijão..

3 comentários:

Fer Guimaraes Rosa disse...

HA HA HA HA HA HA! Angela, não li o livro, mas posso assinar embaixo de tudo o que você escreveu sobre o filme? Perfeito! Fui ver no cinema, sozinha pra poupar meu marido do suplicio, de teimosa que sou. Sai tão irritada, mas tão irritada. Me enervei com tudo na história, quase me afoguei em tanto clichezão. O filme com o Morgan Freeman eu não tô reconhecendo, mas ri muito com o que você escreveu. Obrigada e beijo,

Renata disse...

Concordo e não concordo...o Barden de brasileiro ficou meio estranho sim, mas tabm que outro seria? E a Julia Roberts, coitadinha, dá um tempo pra garota, esses defeitinhos que voce reparou devem ser resquícios de uma plástica atrás da outra...pelos cenários até que que valeu! Afinal, não sou assim tão exigente com filmes,ora,são apenas filmes!

Abraço, gostei bastante do post!

Gina disse...

Há poucos dias comecei a ver esse filme e cochilei... Não satisfeita, comecei outra vez e venci o sono. Era sobre o que mesmo...?
A filha também não gostou e o marido nem quis ver.
Bom final de semana!