domingo, 27 de fevereiro de 2011

Transformações

É impressionante como existem programas sobre transformações. Como se ninguém estivesse satisfeito com sua aparência , vida, casa, carro. E, ao meu ver, em geral, em se tratando de beleza, juventude e cabelo, costumo preferir a aparência das mulheres anterior à tal transformação! Como as enfeiam e artificializam!

Mas a vida em si faz com que as coisas se transformem, mudem. E  sobre tal mudança leio o livro de Mil dias em Veneza de  Marlena de Blasi, uma chef e editora culinária onde conta como conheceu o italiano Fernando e, de um dia para outro, com ele se casa e vai morar em Veneza.
E tudo muda, é verdade. E,a o que parece, para melhor, pois estão juntos até hoje , vários livros escritos, casas maravilhosas etc e tal.
Em um determinado momento, a autora fala sobre sua paixão culinária e explica com as transformações de uma abóbora: com o miolo de uma abóbora de halloween, fez  vários litros de sopa (com noz moscada e conhaque) depois de jantarem  sopa  durante uma semana, tascou queijo nas sobras e ovos e a transformou em 3 enorems formas de torta salgada (imagino que tenha sido suflê)e  finalmente as sobras ao serem misturadas com ricota e queijo ralado viraram  nhoc, e suas peles alaranjaram..

O nhoque me convenceu, estou com muitas abóboras..
Bem, mas o livro está me interessando pois a história de vida da autora se assemelha assustadoramente à minha, só me falta a grana que ela ganhou .. Nunca é tarde!

Transformações.. E a moça que não come carne veio passar uns dias aqui e apresentei quase tudo que já postei: saladinhas com flores em cestinhas de queijo; torta de ricota com abobrinha e cenoura; suflê de chuchu a pedidos; macaxera amarela  e peixe, pois peixe ela come. Dessa vez caprichei  no forno pois saborosos pimentões vermelhos me visitaram a horta. As trutas descansaram em camas de cebolas, batatas e azeite cobertas por sal, pimenta do reino, lascas de pimentões e pedaços de limão .  E comemos. Mas fiz 5 trutas, sobraram duas.  E foram processadas com tudo, pimentão e batata inclusive e um pãozinho francês, mineiramente falando, pão de sal.  Bolinhas feitas , assadas no forno (já bastavam de tão boas!) e mergulhadas em pomarola..  Recomendo!!! Até pra quem não gosta de peixe!!

4 comentários:

Renata Boechat disse...

Adorei o livro, não tanto pela narrativa, que muitas vezes é cansativa, mas muito pelos detalhes gastronômicos que a autora nos apresenta...qunatas vezes eu me imaginei em Veneza, nas feiras livres junto com ela...é uma leitura que eu indico sim, pra quem curte essa onda de gastronomia e romance, bem legal!

angela disse...

Renata, eu procurei a autora na internet , que figuraça! e seu blog é escrito numa lingua que ainda não tive tempo de decifrar!

márcia ng disse...

pois ... a moça que não come (quase nenhuma) carne, já andou um pouco por este mundão. já viveu no nordeste do brasil e, nunca, nunca mesmo, comeu macaxeras tão maravilhosas como as feitas chez angela. amarelas, crocantes, saborosas ... oh céus !
as flores servidas em cestinhas comestíveis trazem alegrias infantis !!!! o souflê de chuchu "atendendo a pedidos" é mais do que se pode imaginar vendo as fotos. as bolinhas de trutas "recicladas"? uuhhhhhmmmmm!
como os deuses tem sido generosos, devo voltar. e quando eu voltar, angela, será que vamos experimentar a sopa de abóbora com noz de moscada e conhaque e suas transformações sucessivas !?!?!
obrigadíssima!
bj na família,
m.

welze disse...

Uau! que coisa melhor de boa. adorei o post sobre o livro e as receitas. divinamente postadas por sinal. boa semana