quinta-feira, 3 de março de 2011

Au Charbon

O título da receita e seu modo de fazer foi tirado daqui * como boa macaca de imitação que sou, cópia sem vergonha da excelente escritora Sonia SantAnna, tradutora de mão cheia e especialista em romances históricos como o maravihoso Degredado de Santa Cruz, belissimamente ilustrado pelo genial francês Laurent Cardon (cujo privilégio de te-lo tido como ilustrador de um de meus livros me faz me inclui em ótima companhia) e o esclarecedor Leopoldina e Pedro I, que nos faz repensar os contos de fadas com suas princesas e príncipes e verificar que sonhavamos errado!

Ficamos sabendo  que Leopoldina, por exemplo. não se alimentava lá muito saudavelmente,  " vinho ,frango com alho, pesadas porções de arroz e e toucinho, um gorduroso cozido de verduras e uma enormidade de doces" e , mais tarde, começou a frequentar a cozinha do palácio tendo como grande amigo o cozinheiro francês Boyer, praticamente seu único amigo e confidente.

E aqui, continuo na minha saga "frango com batatas" . Acordo, dou uma vista d´olhos nos livros de receita, me inspiro e faço o do dia. Ontem fiz o trivial baseado em uma dessas revistinhas de banca de revista que custam 99 centavos. Ensinava que era apenas picar 1 kg de cebola, 1kg de batatas, 1 kg de frango, misturar em uma assadeira, sal e pimenta. Colocar no forno coberto de papel alumínio, depois de assado tirar o papel e corar.
Estranhei tudo.
´Piquei o kg de peito de frango, salguei, juntei com uma única gorda cebola, algumas batatas, coloquei em um pirex untado.. ah. uns pedacinhos de pimentão ....

E fui vendo, e provando.. ah.. não tava bom. Tasquei shoyo. Hum.. faltava algo.. mostarda! agora sim...
e cozinhou, e tirei o papel, e , claro, queijo ralado por cima e... ah.. minha inspiração...
e computador.. e o cheiro de quê? bolo assado? não tenho vizinhos tão próximos.. Ah! Céus! o frango!
corri para o forno e salvei! e digo mais, TINHA de ser assim, meio carbonizadinho , ficou ótimo!!
Sonia, você é uma ótima cozinheira!!
* infelizmente o link é para quem tem conta no multiply e faz parte da rede da autora, mas se ela gostar, vale a pena ler! quem de nós não queimou algo na vida atire o primeiro carvão!

6 comentários:

Sonia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sonia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sonia disse...

Mil agradecimentos por suas elogiosas palavras a meu respeito.
Entretanto, desculpe-me, mas faz tempo que você leu o livro e confundiu um pouco as coisas. O tipo de refeição que você descreve ( vinho ,frango com alho, pesadas porções de arroz e e toucinho, um gorduroso cozido de verduras e uma enormidade de doces)
refere-se à crítica que faz a inglesa Maria Graham à alimentação servida à herdeira do trono, Maria da Glória.

Renata Boechat disse...

Angela, respondendo à sua pergunta sobre conhaque na cozinha, use o domecq nacional,é o melhorzinho que nós temos, sem precisar apelar para imitações sem cabimento.

Quanto aos livros citados, não conheço, mas gostei das histórias!

Até mais,
Um abraço!

Tais disse...

Angela, cheguei aqui por causa do seu comentário no Ombudsmãe. Vim agradecer a dica do filme. Adorei seu blog! E me identifiquei muito, porque vivo queimando a comida por causa do computador. Derramo leite, queimo as torradinhas de pão francês, o arroz pega no fundo da panela...rs! Esse negócio de cozinheira blogueira ainda precisa ser aprimorado! Bjs!

angela disse...

Oi Sonia! bom te ver novamente por aqui!
Elogios nada, verdade pura!
Bem interessante notar uma INGLESA falando mal de alimentação!!!
:-)

Taís, embora não concorde totalmente com seu ponto de vista no caso dos refrigerantes, virei sua seguidora fiel.
Valeu Renata!! tentarei esse.