terça-feira, 1 de março de 2011

Yess, nós temos bananas!

Comecei a escrever muito cedo. Minhas primeiras letras impressas aconteceram quando eu tinha 12 anos na revista Garotas, que eu adorava! Ah! Além de contos, além dos quadrinhos sobre a fabulosa modelo Tiffany Jones , aceitavam colaboração dos leitores. Enviei uns desenhos e um pequenino conto chamado As Mãos. Uau! Que alegria foi ver meu nome impresso!
E eu só tinha escrito sobre o tema As Mãos por conta de um livro que era moda na época chamado Português ao alcance de todos. Também adorava! Um livro de gramática totalmente ilustrado de maneira humorística, quadrinista e meio iconoclástica. Em suas páginas finais o livro apresentava sugestões de temas para redações, entre eles, As Mãos.
Mas não tinha sido idéia minha ficar escrevendo e sim de minha prima Flávia. Ela me disse ao telefone que estava fazendo isso, escrevendo redações sobre todos os temas. Achei legal e fiz também.
Um dos temas era A Família à mesa. Sobre isso, relatei uma refeição em minha casa . Na mesa, meu pai, minha mãe, eu , minhas irmãs e , claro, Flávia, que naquela época era gulosa: capaz de saborear com prazer tanto um belo repolho quanto um prato de brigadeiros! Hoje,  é o orgulho da minha geração: corpo espetacular sem plástica alguma! E sem restrições! Sua receita de juventude e beleza é: uma única e deliciosa refeição por dia, pode ser almoço ou jantar. A outra é substituída por uma salada de folhas.  A pele e os cabelos agradecem!

O mote da minha redação era a finalização de um enorme cacho de bananas ganho por minha mãe em uma rifa de quermesse. Caso verídico! Era banana de todo jeito e todo dia e, para nos convencer , ela andava pela casa dizendo: angela, come banana que engorda porque alimenta (eu era magra, era, passado do verbo fui) , fulana, come banana que emagrece, é vitamina e você fica sem fome. Marido, coma banana que faz bem ao coração.. Menina, coma banana que faz bem à pele, é cheia de vitamina A !

Essa era a minha mãe.. O tempo passou , acabei reformando o conto e ele hoje faz parte do volume GULA da coleção Eles São Sete da Ediouro. Troquei  o sexo da protagonista em homenagem aos filhos e substituí minha prima Flavia por Joana, minha "filha" de estimação, vizinha que jantava diariamente conosco. Jantava conosco às 7 horas e na casa dela às 8.



Agora, o conto vem sempre à minha memória pois não apenas tenho enormes e deliciosos cachos de bananas como bananeiras! Divido com tucanos os frutos, claro, mas eles existem e cismam em amadurecerem simultaneamente.
Um tanto é seco  na ótima máquina de secar que comprei no shoptime. Tenho chips de banana na geladeira com uma certa constância.
Outro tanto é reformado.
Adoro bananas!





E este bolo é feito com as mais maduras, meio manchadas até.
1 xic e meia de farinha de trigo
1 xic de açúcar
1 colher de fermento
1 colh de chá de canela
6 bananas
2 ovos
1 tablete de margarina

Mas faço um pouco diferente, coloco rodelinhas de banana no fundo,  misturo farinha com maisena e reduzo ovos, acúcar, fermento e margarina à metade.  Mas como em dobro!! 

5 comentários:

Beta disse...

Angela, adorei a história e a receita! Bolo de bananas é bom demais e deixa um perfume ótimo na casa! bjs

Gina disse...

Aos poucos a gente vai conhecendo um pouco mais da Angela escritora.
Você costuma fazer chips de banana verde também? É muito bom, né?
Com essa fartura de bananas que tal fazer biomassa de banana verde? Bom pro colesterol. Você viu o post que fiz sobre a biomassa e a receita de brigadeiro funcional?
http://nacozinhabrasil-gina.blogspot.com/2010/11/brigadeiro-funcional.html
Essa máquina de desidratar as frutas é uma mão na roda pra quem produção em casa, o que não é o meu caso.
Bjs.

Andréa disse...

Parabéns Angela ,você é uma pessoa incrível, eu gosto de vir aqui e ler o que você escreve são muito ricas as suas palavras.
A receita do bolo é ótima eu também adoro bananas!

bjs,
Andréa..

Chris L. disse...

Cus-cus (ou será cous-cous?) doce de banana: rodelas de banana + manteiga numa panela. Refoga até amolecer. Junta farinha de milho em flocos. Suficiente para não secar demais. Desliga o fogo e coloca numa forma, deve estar umido. Vira, + chuvinha de canela: hummmm!

welze disse...

adorei tudo no post mas uma coisa me deu até uma invejazinha. O TUCANO. adoro essa ave. tive uma quando morava em Salvador, e quando eu e o bonitão encontramos um pelas estradas quando viajamos, fazemos a maior festa. é lindo demais da conta. boa noite.