terça-feira, 24 de maio de 2011

Comida de festa

Nunca na minha vida comi rabanada sem ser no Natal. Faz sentido? Nenhum. Também nunca comi tender sem ser na época natalina. Nem vejo pra vender. Faz sentido? Pra mim, não, pra indústria, certamente.
Há certos pratos que fazem parte de datas festivas, de reuniões, festas. Houve uma época na minha adolescência que era o tal coquetel de camarão. Um inferno no bom sentido. Era ir a um jantar e lá vinha a taça com o creme gelado e uns belos camarões enfiados. Melão com presunto também teve sua glória, mas eu logo puxei seu tapete e fiz fazer parte do dia a dia da família, principalmente agora que existem melões que falam, aparecem envoltos em redinhas vermelhas e trazem  um bilhete: estou doce!
Muito simpáticos.  Porque será que reservamos certos pratos para as festas? pelo preço? pelo trabalho que dá pra fazer?

Estou lendo Dicey´s Song, o segundo  livro da série Tillerman.
Como o anterior, a comida tem seu lugar. Não só Dicey está na escola tendo aula de economia doméstica, onde aprende  o grupo nutricional dos alimentos e a bater claras,  como também, o personagem obeso do professor de piano passa a fazer parte da família jantando com alguma frequência. E há o dia do agradecimento, o famoso Thanksgiving com seu imperativo peru com batatas. Por aqui também é difícil encontrar peru fora das datas festivas. Mas há certos pratos tão saborosos que não se justifica reservá-los às festas!

Um deles é.. Tirem os naturebas da sala ! é o pão surpresa.
Pelo menos era assim batizado na minha casa. Mas já fui apresentada a ele  como sanduichão. Porém o único que verdadeiramente presta é o meu. Sério. Não adianta vir com a mulher do Procópio e seus fabulosos recheios! O meu é bom , é tão bom que eu faço de modo a cada pessoa comer a metade de um. Em geral, onde vou, e infelizmente já provei vários e graças a deus os meus dias de festas chatas terminaram, me servem uma fatiazinha linda e fina no prato que, se não é comida inteira, sobra um pouco. O meu não. É perfeito. Antes de eu conhecer o uso do fogo, era a única coisa que eu levava para as festas da FAU, chegava a ter baixa de pressão e dor no braço de ficar passando camadas de recheio, agora não, estou cheia de disposição e prática.

Há certas regras que fazem os outros pães do mundo serem ruins: sardinha, patê de fígado, cremes de legumes enfiados em suas camadas, pães molhados. Não adianta me dizer ah.. o  meu leva espinafre e é muito bom, todo mundo adora! Mentira. Dizem que gostam porque são bem educados e estão com fome.

Apontem os lápis! cliquem o copy and paste que vou revelar a maravilha!
- comprem 3 pães de forma partidos ao comprido. O corte dos pães de preferência deve ser de meio centímentro, mais fino do que isso corre o risco de ficar papa, mais do que isso, pode ser massudo. Mas também é bom de qualquer jeito.
- pra facilitar, arrumem 4 fatias de pão, uma do lado da outra, sobre 4 folhas de papel laminado e mãos à obra!
O meu pão é uma arte, uma obra de física e química. A ordem das camadas deve ser respeitada,  a não ser por ordem médica, quando serão substituídas por tão boas quanto.

1a- atum com maionese. Pode ser o já ralado, sem a água, misture com maionese (pode ser light) ao ponto de pasta. Se ficar molhado não é bom. Dá para as exatas 4 fatias. Todo e qualquer ponto do pão deve receber a pasta.
2a-  3 ovos cozidos com maionese. Na versão simples é  amassar o ovo com maionese, mas pode botar ketchup, um pouquinho, pra dar cor, uma pitada de sal.
3a- manteiga , ou margarina , com queijo prato. O queijo em fatias finas, mas firmes, para dar resistência na mordida.
4- geleia. Pode ser de morango, de uva, damasco ou amora. Mas pedaçuda, não do tipo mocotó. E tem que ser nesse ponto, perto do queijo, não pode ser entre o ovo e o patê, não pode. Não pode ser de laranja, figo, nada disso.

5- maionese com fatias de presuto ou peito de peru. Nesse ponto pode introduzir também alface, fica lindo, mas não  só as folhas finas,  tem que ter bastante  daquela parte central que dá um crock na mordida!
6- patê de presunto ou requeijão, ou requeijão com fatias finas de azeitona. Pois essa camada deve ser mole e de acordo com a quantidade de pão que você tem.  O corte dos pães varia.

No caso da foto, como a moça não come carne e a professora também não, usei pasta de berinjela em vez de peito de peru. Como eu não posso comer queijo gordo, infelizmente,não usei o queijo prato. Molho de tomate também pode entrar, fica ótimo. O equilíbrio entre texturas é importantíssimo!

Aí, prontinho, embrulhe no papel laminado ou no saquinho dos pães e coloque na geladeira até a hora de servir.Pra virar prato de festa, cubra com uma camada fina e bonita de maionese gelada. Pode enfeitar com azeitona e rosa de tomate, fica legal.  O dente entra no macio e firme  e a lingua sente os gostos e tudo desaparece como algodão doce.. é um troço! Metade de cada um por pessoa pra não fazer feio!

Bem, relendo, acho que descobri porque a gente só faz essas coisas em dia de festa!

8 comentários:

leila disse...

nossa, eu adoro sanduichão. e o meu é bom também :)

Anônimo disse...

Hummmmmm deu vontade mais da um trabalhoooooooo acho que so na proxima festinha mesmooooo beijos Denise

Priscila Rivera disse...

Concordo totalmente!!! Não faz sentido algum!! E RABANADAS? COMO EU AMO!!!!POR MIM COMERIA TODOS OS DIAS! Mas só no Natal mesmo =(
Claro que eu podia tomar vergonha e aprender a fazer,já que parece bem fácil. Vou tentar,assim como sempre que quiser.
Opa,adoro esses sanduichões! O da minha mãe é ótimo mas... se vc diz que o seu é o único que presta e é perfeito,acredito!!:D Bem,vamos lá:
1-Leva espinafre (adoooro)
2-Atum(descobri faz pouco tempo que gosto muito)
3-Sem agua ou leite,vc diz que molhado não é bom (concordo pq sempre que como todos são molhados e não me agrada)
4-Leva geleia (já sabe que amo,né?)
5-Alface pra fazer crock na mordida (adoro)
6-Pasta de berinjela? (Amo ao cubo)
6 motivos e muito mais = Perfeição mesmo!
Resultado: Angela,quando vc vai me convidar para comer seu sanduichão? Risos!

PS: Vc mesma diz no final que dá um trabalhão fazer e...eu não sou boa na cozinha,então só resta mesmo vc me convidar :-))))
Beijos

angela disse...

Denise e priscila, onde é que eu disse que dá trabalho? ANTES de eu conhecer o fogo , dava, agora não, é tranquilo, juro! e vale.
Priscila,onde é que eu disse que levava espinafre? Não leva não!! Não bota!!!:-)))))
Eu disse no final? er.. acho que sim, mas não é verdade: menti.
Oi Leila! se o seu é bom é igual ao meu, rá rá!!!

Priscila Rivera disse...

Isso,no finalzinho vc disse que relendo descobriu pq só fazemos essas coisas em dia de festa! Entendi como se desse trabalho pra fazer,risos! De qq maneira pra mim que não levo jeito seria um trabalhão...só isso!
E sobre o espinafre ta aí ó:
Copy and Paste:
Não adianta me dizer ah.. o meu leva espinafre e é muito bom, todo mundo adora!
Bem,achei legal...realmente doro espinafre.Bolinhos de espinafre?? Nossa,delícia!!! Semana passada minha avó fez 3 vezes :D
Bye Bye

angela disse...

Priscila, bolinho frito é bom até de sola de sapato! Rá rá! com queijo ralado, então.. delícia!:-) Nãoque eu tenha provado, mas em dia de fome total, dura, sem nada em casa, pais viajando, queimei a farofa, a única coisa que encontrei, e tasquei o queijo e comi, rá ra´! Adolescência é divertida!

Priscila Rivera disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Priscila Rivera disse...

:-))))
Verdade,e tudo com queijo fica mais gostoso! Ah,de sola de sapato tb nunca provei hahá.
Já fiz coisas parecidas tb qdo a fome apertou,mas essa sua história aí é bem engraçada.
Eu falo que não levo jeito pra cozinhar mas na verdade aprendi fazer tantas coisas...lembra que até te passei as receitas e vc já conhecia tudo? E nem são coisas faceis de fazer. Acho que na verdade, o que eu preciso é ver a pessoa fazendo aí dá certo.Entende? Pq ler receita e tentar até hj não consegui...lembra das abóboras? Vi sua receita aqui ,acordei super cedo pra comprar abóboras,fiquei horas fazendo,toda empolgada e..... que decepção.Risos. Enfim...