sexta-feira, 1 de julho de 2011

Gostaria de ser caprichosa ,mesmo se não fosse em rosa.

- Ah, eu queria ter tido uma filha mulher, umazinha pelo menos -dizia a minha comadre-  E ela teria um quarto cor de rosa, tudo cor de rosa, cortina cor de rosa..  ia ser bom..

Mãe de dois meninos, assim como eu, sonhávamos com um pouco de frescura. Algumas horas depois, a conversa mudou um pouco e agora nos perguntávamos como reagiríamos se  algum de nossos filhos fosse gay, ao que ela prontamente responde:- Pelo menos teria um quarto cor de rosa!

A verdade é que apesar de ter achado interessante jogar futebol e brincar de carrinho, a cada festinha de aniversário de amiguinhas dos meninos eu só comprava brinquedo cor de rosa, com bastante flores, cheirinhos e purpurina.

Agora me distraio com a menina que me pediu:
- Tia, no meu aniversário quero um bolo de princesa..

Minha felicidade foi inenarrável!! Mas como fazer um bolo de princesa no meio do mato? Nessa internet maravilhosa aprendo que existe hoje em dia confeitos de cores fortíssimas para bolos, uma tal de pasta americana. No meu tempo era só glacê e de tons claros de anilina, em geral, com um leve gosto de limão. Também no já citado livro Assando Bolos em Kigali, leitura que recomendo embora o bolo entre no livro como Pilatus no Credo, a capa já é essa maravilha e os bolos são confeitados com cores fortes. Não sabemos muito do gosto, mas dá pra imaginar os confeitos.
Decidi: iria fazer um bolo cor de rosa de Princesa!
E me mandei pra cidade mais próxima onde comprei dois pacotes de mistura pronta de bolo Dona Benta de chocolate, coisa já testada, eu não poderia me dar ao luxo de errar a mão em data tão importante. E comprei a tal pasta americana, Pastamix e o corante gel cor de rosa.

No mesmo dia, recebo o telefonema da escola da menina, a cobrar, com o pedido de desculpas de ter ligado a cobrar porque estava sem crédito. A escola não tem telefone, tem um orelhão.  Confirmo a data da comemoração e envio convites para as crianças:
 A Princesa Jaqueline convida o Príncipe Heitor para a celebração de seu aniversário etc e tal. 
Cada criança da sala recebeu o convite nominal onde foi chamada de príncipe ou princesa conforme o caso.
E lá vou preparar o bolo!
Aí, o primeiro problema: descubro que o meu forno é uma droga ao cubo! O tal fogão Continental , baratinho, 4 bocas que está quebrando meu galho tem o pior forno já inventado! A parte do fundo do bolo afunda enquanto a da frente sobe! Pra completar, como minhas formas estavam amassadas, usei uma bonitona com antiaderente.. Rá!  Não adianta: queima a borda toda.
Vendo que o tamanho do bolo tinha sido drasticamente reduzido, decidi fazer um bolo de bolo mesmo, aí seriam três camadas...........Rá Dois! Tres queimadas e não três camadas... Cara, virou sola de sapato, a minha sorte é que eu sou chegada a uma sola de sapato moreninha, voltou para o forno em tiras e agora tenho ótimos biscoitos de bolo solado.

Quando a maré não tá pra peixe não adianta insistir. Entre as duas camadas de bolo um brigadeiro mole, certo?  só que esqueci de avisar ao fogo, então, enquanto me virei pro lado pra lavar a mão o brigadeiro queimou!! Dá pra acreditar num troço desse?  E grudou na panela e não saiu nem por decreto!
Mais uma lata de leite condensado na panela e dessa vez mexendo sem parar com a mão melada mesmo. Ufa!
Os bolos raspados de suas bordas queimadas, montados de maneira a equilibrarem os lados tortos , feios, horrorosos mas gostosos. E vamos ao confeito!

Alguém aqui já fez isso? Leio a embalagem e amasso a coisa dentro do saco plástico que é ABERTO, o que significa , evidentemente, que parte dela vai ao chão. Aí, sem noção alguma, meto dentro do saco plástico um pouco do gel corante. Quanto? sei lá, uma colher de sobremesa? E dá-lhe mistura e eu já achando que o melhor seria fazer um bolo com cobertura mármore, mesclado de branco e rosa, pois não via jeito da coisa ficar corada por igual.  Como dentro do saco plástico corante e pasta estavam como água e óleo, decido meter as mãos na massa.
Não tenho luvas plásticas.
Usei saco plástico.
A pasta vermelha, rosa, fúccia, branca grudou no saco plástico.
Tiro do saco e misturo nas mãos. Minhas mãos estão vermelhas. Que ninguém morra ou se fira pois vai ser difícil explicar!!!  Mas o esforço compensou, ficou tudo cor de rosa. Tudo MESMO. Eu disse TUDO.

Bem, seguindo as dicas da internet e da vendedora, tasco açúcar de confeiteiro na bancada. Quanto? Um monte . E lá vou eu com o rolo esticando a coisa .. cara, que  difícil! ou rachava ou grudava. E eu tinha separado uma parte pra forrar o castelo, pois princesa sem castelo não é princesa.. O castelo? um rolo da parte interna de papel higiênico com um cone de cartolina. Mas ninguém me explicou como é que gruda o raio da pasta no papel! Vejo lindos bolos, as pessoas explicando que abriram a massa e forraram o isopor... como?? Não gruda!!
Er.., não gruda no papel , porque na mesa, na mão, no cabelo, no chão aí gruda que é uma beleza! Finalmente consegui abrir a massa, toda torta, sem quantidade suficiente pra pegar o bolo inteiro. Rapidamente bati claras em neve com açúcar pra tampar buracos. E para tampar os buracos do açúcar, balas de coco cor de rosa!
Tudo torto, porque o que me sobra de boa vontade me falta no capricho, com rachaduras causadas por excesso de açúcar de confeiteiro na pasta e nas paredes, e Raquel achando lindo com esfregão, balde, mangueira, álcool pra retirar o pó fininho e branco que se espalhava no ambiente. O pó de açúcar branco também estava sobre o bolo, mas este foi espanado com um pincel culinário.

Apesar de seus esforços, as formigas encontraram caminhos. E eu dormi cheirando açúcar até a alma.
No dia seguinte, lá fomos nós pro Brasil. Ah.. Brasil! Somos realmente um milagre. 22 crianças nas mãos de uma única professora, e ela ENSINA! Estão estudando o fonema B e a professora levou bolha de sabão e vai declamar o poema da Cecília...

Então, uns três meninos rindo vieram se apresentar a mim:
-Oi ! Eu sou o Príncipe Bruno!
-Eu sou o Príncipel Heitor!


Acertei!!
E as crianças saíram pra brincar ainda com a letra B enquanto enchíamos as Bexigas (como aqui se chama as bolas de festa) e eu confeitava o Bolo com Balas.
E Bolo de princesa aconteceu! E gostaram e repetiram!
E Cada criança ganhou brindes, viva as lojas de 1,99! e comeram sanduíches de requeijão e presunto em copos de coca-cola!  E a vida vale a pena ! Se eu peco no capricho, vou deixar pra lá, o sorriso deles não percebe os erros!
Ano que vem vou fazer a casa de doce de Joãozinho e Maria!

(Onde é que posso comprar um quadro negro grande pra dar pro colégio? esse não dá nem pra usar de tão velho. )

14 comentários:

Norma disse...

O bolo ficor lindo....e a sua intenção me emocionou!!!!

Anônimo disse...

Isso sim e amor nao importa a arquitetura do bolo nem o forno que nao colabora mas , sim o carinho esse bolo esta mais perfeito que das melhores boleiras do nosso Brasil e o sabor deve ter ficado bom tambem beijos rosa Denise

Anônimo disse...

Você foi grande na intenção.

Priscila Rivera disse...

To encantada,vc é incrível!! Fui lendo devagar,acompanhando e rolando a tela...realmente me evolvendo com a história e querendo saber no que deu. É serio,só vc vendo...eu me preocupando com os acontecimentos,a grande trajetória desse bolo.
Tá,aí cheguei na primeira foto....olhei e olhei mas sabia que vc ia conseguir :D
Aí veio a foto do bolo todo pronto e .... QUE BOLO LINDO!!!!!
Todo lindo.Exatamente essa de princesa sem castelo não é princesa,e esse castelo ficou um charme juntamente com os outros detalhes de enfeites. Imagino como as crianças ficaram encantadas assim como eu...é claro que não percebem os erros e esses sorrisos de crianças valem todo e qualquer esforço. Ah,esses sorrisos... :-)))
Então ano que vem teremos a casa de doce de Joãozinho e Maria...que máximo,adoro!
Parabéns pra menina e pra vc que fez esse bolo tão lindo!
.
.
Engraçado,eu sempre chamei essas bolas de festa de bexigas...mas aqui no Rio não chamam mesmo.

Beijos cor de rosa ;-)

Fabiola disse...

Oi Angela
Viu como ficou tudo lindo mesmo? É que foi tudo feito com as mãos do coração e vistos com os olhos do coração. Quando resolvi que nunca mais faria bolo de cenoura, minha pequena virou e disse: mas mãe... não tem importância, eu como assim mesmo o bolo feio (empatumado feito pudim), eu gosto! Coração....
Que pena que você ainda não achou o fermento, fica muito gostoso.
Muito obrigado pelo livro, estou aguardando, ai que delícia!
Quando ao quadro negro da escola, eu acho que em boa parte das delas este quadro é pintado com uma tinta especial, não são aqueles comprados.
Angela, fique com Deus, um excelente fim de semana cor de rosa!
Beijos mil
Fabiola

Renata disse...

Que legal...incrível!!!

Eu sou o Principe Fulano, eu sou o Pricipe Beltrano...crianças que podem ser principes e princesas numa escola em que nem quadro negro tem direito!

Aplaudo de pé sua intensão!Bravíssimo!

Simples Assim disse...

Oi Angela,
Adorei conhecer seu blog.Parabéns.
Lylia

Marly disse...

Angela, querida,

Li a sua saga toda, sofri, me emocionei e triunfei com o seu triunfo, rsrs. Parabéns pela persistência, pela generosidade e por ter chegado a um final tão bacana, amei! Pode estar certa de que muitos dos erros cometidos foram decorrentes, ou seja, provocados pela tensão do insucesso precedente, rsrs.
Olha, se você um dia desejar fazer um bolinho de liquidificador que é bom e sempre dá certo, acesse este link do meu blog:
http://saborear-saboreandoavida.blogspot.com/2010/05/bolo-prestigio-delicioso.html

Eu cheguei a esta receita fazendo adaptações e ajustes e ela resultou boa, sabe? Muita gente inexperiente já a fez e aprovou. Se você quiser um bolo pranco, é só excluir o chocolate em pó e o café.

Beijoca e boa semana!

angela disse...

Obrigada pela opinião de vocês, Norma, Priscila e Fabíola, lindo não ficou, mas ficou gostoso e a Princesa Jaqueline teve o bolo de princesa dela! Algum dia eu vou aprender a mexer com essa pasta. Denise, foi o que o meu marido falou também. Ele disse que ele e outras pessoas simplesmente dariam dinheiro para a festa acontecer. Fiquei espantada, pois nem me ocorreu não meter a mão na massa já que posso, tenho tempo e gosto. Sei que vou ter de comprar um fogão novo ou consertar o antigo, vamos ver o que fica mais viável. Ah! e os presentinhos! Vários pacotes de presente, coisa que criança adora, quantidade! Fico superdividida entre adorar essas bobagens de 1,99 e o trabalho chinês. Crianças que trabalham mas também alegram outras crianças. Exatamente , Renata, a escola é bem legal, há espaço, pracinha com escorrega e brinquedos, e a Professora fala em poesia e em Cecília Meirelles!! E o quadro negro tem dois buracos . Mas vou comprar um, vi que tem na Kalunga por 70 reais. Vou combinar com a diretora, pois se não tiver quem coloque, o pai da menina vai com o irmão e colocam. A escola tem três turnos, e o turno da noite deu o PRIMEIRO LUGAR no vestibular pra Filosofia da faculdade local. Então, vale a pena! OI Marly, bolo de liquidificador é bom demais.. vou ver se mantenho o café mas tiro o chocolate! Que bom,Lylia, venha mais vezes, eu acompanho o Simples!

Anônimo disse...

Esse bolo me lembrou a música do Pato Fu: "quanto menor a casinha mais sincero o bom dia."

Izabel

Beta disse...

Ahh Angela no fim o bolo ficou muito lindo! E as crianças parece que ficaram bem contentes! bjs

Chris L. disse...

Angela: legal seu bolo, ou melhor o bolo da princesa! A festa tb! essas coisas prontas geralmente dão errado,a gente sofre pra acertar mas depois que passa rimos muito do sufoco! Na proxima vc faz cupcakes com topping cor de rosa e em cada bolinho coloca uma velinha daquelas fininhas pra cada criança, arruma cada bolinho sobre toalhinhas redondinhas brancas de papel, rendadas, e faz um bolinho maiorzinho e mais enfeitadinho com uma vela de número para a aniversariante, tudo sobre uma toalha de cor bem bonita, verde mar, lilás...rosa, completa um vaso com flores do mato e acendem todas as velinhas cantam e todos podem apagar sua velinha. Ah... que saudade! Vou emprestar uma princesinha pra fazer isso de novo! Bjão saudoso, Chris

angela disse...

Eu quero a princesinha! É minha!! ninguem tasca!! tenho testemunhas!!

A boa notícia Renata, é que falei com uma moça que é prima de outra da Secretaria de Educação e os quadros já estão comprados. Tá sentada? pois é, eu vi o preço de um quadro negro na Kalunga, setenta reais. Legal. Pois os que virão são modernos e de ótima qualidade... setecentos contos cada um!!

Chris L. disse...

Lógico que custam mais caro: 70 reais de custo, e 315 prá um, e 315pra outro, em cada quadro!Por isso temos a educação que temos.