sábado, 30 de julho de 2011

Implicante

Descobri que sou implicante com o advento de enteada. Pois é, eu não sabia, eu achava que eu era simplesmente mãe e educadora. Rá rá. Que nada, implicante. Por exemplo, vi na tv uma moça ensinando a maquiar. Não entendi nada, pois ela era muito estranha.  E ela diz que sabe tudo sobre maquiagem. Pensei: se sabe, porque não usa nela mesma? mas, enfim, sou implicante. Não curto maquiagem, mas na minha idade, de vez em quando a gente precisa, mas .. tenho medo do sorriso branco do Cesar Encantador de Cães e também tenho medo de boca com batom vermelho. A meu favor o fato de serem implicâncias teóricas. Tenho certeza de que se eu conhecesse o Cesar Encantador de Cães ou algum sorridente de boca vermelha, mesmo se borrasse o dente, e a pessoa fosse legal, não ligaria a mínima.

Mas implico. E implico com algumas palavras.  Implico também com palavras estrangeiras desnecessárias. Tudo começou com a palavra drink . Odeio a palavra drink. Acho pernóstico. A gente tem a  ótima palavra bebida, não precisamos de drink pra nada. E a moça estranha que ensina maquiagem disse na tv que aquele tom de esmalte ou batom cor de boca, natural chama-se "nude" Ai ai...  Então tá.

Não implico com palavras estrangeiras que surgem com artefatos novos, não, isso não. Pode ser mouse pad , principalmente porque a gente acaba pronunciando MAUZI PÉDJI , pois antes do computador não existia essa coisa, e ou traduzíamos como nossos irmãos portugueses e espanhois o fizeram ou adotamos a palavra inventada.  Também não implico com DELETAR ou DEL. A gente tem apagar, sumir, desaparecer, um monte, mas deletar é deletar. 
NO inicio implicava com petit gateau , a gente podia dizer bolinhos, mas , embora eu nunca tenha comido um na vida, vi que era diferente, era um bolinho com um creminho derretido dentro, então ok. Ah.. mas wrap foi demais pra mim! Embrulho, envoltório, enrolado..  Wrap tem a letra erre e não é erre como em bruxa, ou erre como em erre mesmo. É erre como em porteira do interior.  Difícil de pronunciar.

Mas comprei esse aí (cuja imagem peguei no search do google, a foto não é  minha não é de um site chamado rainhas do lar, explico logo que há muita gente na internet com muito carinho sobre suas imagens como se fossem obra de arte, e antes de me levarem ao tribunal me chamando de ladra, aviso: peguei não nego),  apesar do trocadilho infame do nome , pelo menos não é wrap.  Eu já tinha comprado o light ( outra palavra apropriada pois não tínhamos equivalentes , pois não quer dizer somente leve).. blearghson!! HORRORÍVEL! nem os cachorros comeram. Mas esse Rap 10 da pullman é nota dez mesmo!!!


Então fiz o que a embalagem manda, tostei na frigideira sem untar,  e coloquei um pouco de mussarela, bem fina e vi que era bom.  Aí, meti aquele conjunto de coisas do último post e oh!! vi que era ótimo!! Esse rap é perfeito! fininho, crocante, leve, tudibom!! Pode até chamar de wrap que não implico!!!!

terça-feira, 26 de julho de 2011

Pra um, por favor

Então... fico imaginando como será morar só. Nunca morei só na vida, não tenho a minima ideia como sejam as refeições. Quando vejo filme americano, mesmo que a solitária seja chef de cozinha, em geral, elas preparam um macarrão como quem é muito ,muito especial, como se o resto ignóbil da humanidade não soubesse o que  é bom na vida. Aí, abrem um vinho e curtem a solidão escolhida.  Já, se rola um romance, como são muito simpáticos e simples, o lance noturno é ir pra cozinha pra fazer um sanduíche de manteiga de amendoim.

Dizem que se tiver na geladeira um resto de pão de forma, um queijo e um tomate,o homem come o queijo, depois o pão e depois o tomate. A mulher fará uma pizza.
Não sei, acho que os tempos estão mudando.

Mas eu, que nunca morei sozinha, sou meio comlurb. Coisa de mãe. Ia ao macdonad´s com os filhos, por exemplo, e não pedia nada pra mim. Eles faziam seus pedidos e eu comia os restos.
Acontece que com as visitas da professora e da moça que não come carne fui fazendo seus pratos prediletos e não ficava bem repetir, mesmo elas tendo virado família. Certo, gosto de me mostrar.  Assim houve sobras e o marido viajou.
Quando marido viaja praticamente não cozinho pois a comlurb baixa em mim.
NO entanto, essa coisa de reciclagem de alimento acaba virando meio o milagre da multiplicação dos peixes, pois, você tem um restinho de arroz, mete um monte de coisas nele e acaba com uma pilha de bolinhos, e,depois do bolinho, nada mais há a ser feito.

Bem, eu tinha feito um pão perfeito na máquina de pão. Com água mesmo, sem ovo, simples, mas ficou tinindo. Esse afundado aí é charme, pois ficou bom mesmo. Mas sobrou.  Também, antes do marido viajar, ele me pediu macarrão . Segundo ele, quando viaja fica sentindo falta de comidinha do dia a dia, acaba comendo sanduiche demais. Assim, havia sobra de macarrão. E sobra de feijão. E um bando de pimentões e legumes pedindo urgência de uso.
Rapidamente piquei tudo, chamam de camponata, mas, para mim, é a delícia das delícias. Adoro pimentões vermelhos! O charme todo está no corte. Tem que saber picar, e nisso a Raquel, que voltou das férias, é mestra! então é pimentão picado, cebola picada e isso vai ao forno pra matar as bactérias, depois é acrescentar o famoso o que tem. Azeitonas, passas, nozes, vinagre, azeite, limão, mel... E como havia sobrado peixe frito e cenoura ralada, um tico de maionese e VOALÁ! ah.. posso comer isso todos os dias!
Vocês são de implicar com comer a mesma coisa todo dia? eu não, comida boa não me enjoa, ih! rimou.
Mas também dá pra colocar macarrão na mistura e vou te contar um caso: se eu pudesse ou gostasse de vinho estaria tirando mais onda do que qualquer personagem de filme! (perceberam o milho? também tinha sobrado um pouquinho)

Bem, mas isso é o almoço.  Faço mais o tipo do provérbio: tomo café da manhã de rei, almoço como burguês e  janto como mendigo. Assim, uma sopa me basta, no caso, aguar bastante o feijão e colocar um pouco de macarrão e pedir graças a deus por estar viva e comendo a delícia da noite! Faço até poesia, comparo o feijão com o céu noturno e o macarrão com o raio de luar!!

Oh! e o pão, Angela?
Estava seco e duro, mas isso não me intimidou, fatias finas cortadas com a faca elétrica, azeite em fio por cima, queijo (ainda tenho queijo!) mussarela ralado , um tanto da camponata, e tomate cereja ( tenho 3 sacos cheios dele! já fiz molho, mas os dois tomateiros são férteis) e a história é essa: dei a metade pra Raquel (são três par comer) e comi sozinha o resto.

Acabou-se o que era doce!
Sim, a sobra do melhor doce de leite da vida , que eu e a professora comemos lambendo os beiços e a colher, foi parar na minha barriga. Esse doce de leite é o melhor de todos. Não é açucarado, a cor é linda, é suave, é macio, lembra o feito de leite condensado na panela de pressão.  Recomendo!!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Intervalo musical



Dia seguinte,dia dez, Campinas, com a presença de duas ótimas cantoras ,compositoras, Taís Reganelli e Tatiana Rocha! 21 horas no Almanaque Café.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Presente!

Fiquei feliz da vida! Esses bonequinhos são o  máximo. Dessa vez gostei mais da cobra. da outra eu gostei mais do Panda, dos gritos que ele dá. Muito obrigada  Ronald MacDonald!!
Em breve estarei comendo o meu fabuloso macfish, pois.. SÃO PAULO E CAMPINAS!!! Em agosto o marido vai dar show. Dia 9 no Café Paon, dia 10 em Campinas. Quem vai?
Um dia desses eu coloco aqui o cartaz e a programação. O CD está UM SHOW!! Bom demais da conta!!

E a moça que não come carne está aqui, juntamente com a professora. E me trouxeram presente; CAMARÃO!!! Ah! e civilizadíssimo! Nunca tinha visto desse jeito, limpo, grande, suave. Então, o camarão foi descongelado, lavado, e frito no alho, sal , pimenta do reino, e, no final, umas lascas de parmesão. Mas o arroz foi o grande astro! Estamos em época de brócolis. E minha horta está exuberante deles! Acho que a professora até fotografou e colocou no facebook.  Segui as instruções  da moça que não come carne, o arroz já estava pronto. Peguei as flores do brócolis, piquei picadinho, dourei uns 4 dentes de alho no azeite Galo, e joguei a poeira de brócolis. Mas aí lembrei que a moça que não come carne tinha me dito que eu devia aferventar o brócolis antes . Bem, a ordem dos fatores não altera o produto,joguei água. Deu certo! Ficou al dente, aí misturei o arroz. Ó, comi rezando de tão bom!

Adoro brinde!! Pois o Macdonad me mandou os bonecos de presente!

domingo, 17 de julho de 2011

Trivial variado

Odeio o Nicholas sparks . Não só escreve romances bobos como consegue me fazer chorar em todos! Que raiva! Esse não foi diferente, o casamento. Em português está apenas na coleção da Seleções,acho. Ainda trata da família de Noah,  do livro-filme O livro de Noah, que é de uma poesia fantástica. Foi ele que me fez ir atrás de todos os livros do cara. E querer matá-lo como aos seus personagens, pois me faz chorar, e eu continuo lendo ele. Acho que por dois motivos: se tem letra eu leio; já que gastei dinheiro comprando, mesmo que tenha sido 8 reais por 4 resumos, acho desperdício deixar sem ler. A mesma coisa que faço com pão velho, não jogo fora, como, vira torrada ou farinha de rosca.

Nesse livro, o personagem casado há 38 anos resolve ser um marido mais legal e casar com ela na presença de um pastor, com vestido de gala, festa, dança, flores, toda essa bobajada, pois só tinham se casado no civil e a mulher era frustrada. Não senti nenhuma empatia pelo casal, mas continuei lendo. O pai dela, Noah, o que fala com o cisne porque acha que o cisne é a mulher dele reencarnado, ah.. esse é legal.   Eu não entendo muito essa coisa de casamento com cara de princesa não, acho esquisito, mas, tudo bem.  Festa é festa.
Mas, o mais importante pra nós é que o marido em processo de perfeição é quem faz as refeições do casal! O acordo deles era sábados,mas , como ele quer ser maravilhoso, faz todas as refeições pra ela. E cada prato... Primeiro cesar salad e cogumelos rechados com salsicha e queijo cremoso de entrada, em seguida vitela marsala enquanto conversam que o bolo de casamento será de duas camadas com sabor baunilha e cobertura de creme azedo.  A vitela foi assada e depois regada com vinho marsala, suco de limão, cogumelos, caldo de carne e chalotas.  Depois, outro dia, ele prepara frango a cordon bleu com vegetais passados na frigideira com manteiga.

Mas estou virando vegetariana aos poucos, uma pena. E lembrei do início do meu casamento quando o marido era o cozinheiro de plantão para gaudio de todos! Festins diabólicos em quantidades de quartel! Panelões ferviam na cozinha e rapidamente eram esvaziados por um trio de jovens e mais o chef.

Mas aí, aprendi a cozinhar e ele se aposentou das panelas. Uma pena, pois é muito difícil manter o tal trivial variado.  Principalmente se só nos resta variações sobre peito de frango e legumes com gordura pra fazer. Mesmo assim, a gente tenta! Frango com batatas é o prato predileto!
Então, folheio os livros e revistas. E pronto: rocambole de frango!! Que maravilha! Peito de frango batido no processador com miolo de pão, salsinha, cebola, cebolinha, tomate, orégano e também dentro, presunto e queijo  mussarela! Por cima, se quiser, um pouco  de molho de tomate.

Ontem, vi uma receita do gaúcho e achei que tinha encontrado a felicidade:  ele promete a delícia das delícias num simples frango envolvido com creme de cebola (em pó) e leite! E forno!  Fiz ao pé da letra. Que coisa horrível! Sem gosto e gosmento! E volta pra panela, e dá-lhe molho inglês e sal e algumas azeitonas. Ufa. Frango salvo. Mas não ficou lá essas coisas.




No entanto , os bolinhos.. hummmmmmmmm!!

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Comida de festa 2

Afoto não diz o sabor e nem tem cara de festa! Digamos que seja festa surpresa, de repente vai ter festa, ou um convidado especial, o chefe , a tia chata.. Esse prato não tem erro. Claro que o da foto não foi feito como merece pois usei presunto no lugar de bacon e batata palha da Ela Chips, a única que presta, não é gordurosa. Então,  pegue peitos de frango, pedaços, tempere só com sal, não há necessidade de mais nada. Coloque umas tiras de bacon e leve ao forno. Aí , quando ficar assado, coloque ameixas pretas sem caroço. Se a ameixa estiver dura, dê uma aferventada antes. Espalhe. um pouco mais de forno. Na hora de servir, jogue por cima um copo de requeijão da sua preferência.
E aguarde os elogios! Comida chiquérrima!

terça-feira, 12 de julho de 2011

Tô feita

Posso dormir sossegada. Caso precise voltar a trabalhar já sei o que farei: pães e biscoitos!
Tenho um dom. Sério. Ou foi sorte... Talvez. O que sei é que ontem, atacada como sempre (gente.. só pode ser doença, é a Raquel entrar de férias que tenho furor criativo culinário e decido fazer zentas coisas no mesmo dia!)
E podem ir pegando o mouse pra dar um copy and paste pois vale a pena! Dá pra notar que o dom não é de fotografar ou de equilibrar.. mas esses pães céus!! Sabe perfeição? maciez, sabor, textura, fofisse, crosta.. é daquelas comidas que todas as palavras maravilhosas se encaixam: aroma, tostados, macios...
Então, 560 g de farinha de trigo
3colh sopa de óleo de canola
3 colh sopa de açúcar
2 colh chá de sal
3colh e meia de chá de fermix
meça um ovo desmanchado e leite desnatado pra fazer 310ml
Aí, é colocar na máquina de pão no ciclo massa.
Realmente é o melhor  uso da máquina.  Quando apitar, está fofo, alto. Aí, é fazer bolinhas e colocar em tabuleiro untado.  Cobrir com um pano de prato e esperar mais uma hora.
No fogo alto e quente colocar por 10minutos. Abaixar e mais dez minutos ( o meu forno é ruim, não estabiliza e estava muito quente porque eu tinha acabado de fazer essas maravilhas..

Ainda bem que meu filho só se casa em outubro! porque já comprei o raio da roupa e tem que caber até lá. Mas a partir de setembro eu manero. Até lá, dá-lhe biscoitos! 200g de polvinho doce, 200g de farinha de trigo, 200g de fubá de canjica,200 g de margarina, 200g de açúcar.
E ir amolecendo com água morna até ficar no ponto de massa-amolecida-com-água-morna.
E fazer os rolinhos. Passar em açúcar cristal e colocar na assadeira untada de margarina. Demora quase uma hora pra assar no tamanho maior. As bolinhas, como eram a segunda leva, foram rapidinhas.  Sabe aquele biscoito perfeito pro cafezinho? faz crock , gruda um pouco no dente, pois o açúcar carameliza.. hummm.. bom demais e rende pra caramba.

Ah! mas a saga da finalização dos queijos continua!
Essas forminhas são o bicho! Maravilhosas! silicone, lindas, não precisa untar, enfarinhar, nada.  Eu ia fazer suflê, mas acabou virando muffin. Minha base de suflê é: duas colheres de farinha de trigo, meia xícara de leite (sempre uso desnatado e agora da marca Quatá, o melhor de todos) um ovo (gema separada e clara em neve) uma colherzinha de sal, duas colh de margarina derretida .  Aí é acrescentar uma xícara do que quiser (milho, legumes.. )Mas eu coloquei também uma colherzinha de fermento e duas colheres de farinha de arroz  e uma xícara da tal ricota defumada apimentada.
Muito bom! mas é sofisticado, então imagino que seja perfeito pra colocar em formas de empadinhas e servir como aperitivo. Comemos com molho de soja e ficou bárbaro. Ficou bom quente , ficou bom frio, ficou bom gelado. Acho que deve ficar bom até com mel!

Ah! terminei de ler  Tree by Leaf, da maravilhosa Cynthia Voigt . Não me apaixonei tanto quanto os livros da série dos Tillerman, mas ela escreve muito bem. O interessante é que continua falando em caranguejos. Dessa vez é sopa de caranguejo! praticamente dá a receita. Além dos caranguejos, a personagem principal toma sempre mingau de aveia pela manhã. Gente.. como eu detesto mingau de aveia!  Aveia só em biscoitos. Talvez algum dia eu aprenda comer aveia de outro jeito.  Também há uma refeição de galinha cremosa.   Deviam traduzi-la!

Olhem só quem me acordou hoje!

AA! antes que me esqueça, está havendo sorteio do produto 4 minutos da arriver aqui
é muito bom!! já me inscrevi, mesmo tendo vários potes de geleia guardados!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Gema de ovo a milanesa

Já ouviram falar nisso?
Mas ontem eu vi o filme Bon Apetit (vai passar novamente domingo) uma bobagenzinha romântica, mas de boa índole, sobre tres jovens. Acho que os jovens devem adorar pois é o tipo de conversa que jovem tem. O tema seria "amigos que se beijam", amigos, uma certa atração, mas não é pra namorar. O legal é que trabalham em um restaurante: um italiano perfeito, lindo, legal, gente boa, bom caráter e ótimo chef; uma jovem alemã sommelier muito confusa que está grávida do patrão casado, e um espanhol chef que quer ser famoso. Tudo isso na Suiça.  Aí a gente tem de brinde paisagem de Bilbao, Zurik e Munique. E uma gema de ovo à milanesa.  A minha foto está uma droga, é mais bonita que isso. Acordei  doida pra testar a coisa.
Instado a fazer uma refeição com o que havia em casa, o rapaz prepara um macarrão sem graça, passa a gema de ovo na farinha de rosca e frita e, por cima de tudo, um pó de bala de menta. (este ele pega a bala, dessas normais que tem em lojas de roupa como brinde, derrete no microondas sobre um papel manteiga, aí amassa com um rolo, depois esfarela em cima do macarrão)
Mas a gema de ovo me intrigou! Meu colesterol tocou sirene mas fiz. Com azeite, e o sal coloquei depois.  Não vale o esforço  mas que é legal é! Dá pra tirar onda! Divirtam-se!

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Amor sem beijo é macarrão sem queijo. Ou seria o contrário?

Existe um livro de autoajuda famosão chamado Quem Roubou meu Queijo?. Não li, mas gostaria de avisar que NÃO FUI EU.Não roubei queijo de ninguém!
Tudo isso foi uma mera confusão, um erro de cálculo. Quando vi, tinha 4 queijos tipo frescal, dois requeijões, 3 mussarelas( decidi que vou escrever desse jeito porque é assim que falo:mus-sa-re-la. Pelo menos até ter certeza da grafia ) uma ricota, uma ricota defumada com pimenta, uma mussarela com pimenta, uma mussarela com orégano, um copo de requeijão, 3 sacos de queijão parmesão ralado e ainda alguns queijinhos em uso..
Céus!! Tenho de usar tudo rapidamente!
Comecei a fazer contas mentalmente, fiquei nervosíssima pela quantia que poderia ir pro lixo e iniciei a tarefa.
Comecei com as minhas famosas lasanhas.( também não gosto, tinha de ser com Z, laZanha, é muito mais saborosa com Z)  Já falei sobre elas. Aliás, sabiam que o prato preferido do brasileiro é lasanha? Fizeram uma pesquisa e foi esse o resultado. Aqui em casa deu certo, pois é o preferido do marido e da Raquel.  A arte está em equilibrar a quantidade presunto, massa , queijo e molho e, na hora de assar, colocar uma colherona de leite. Faz toda a diferença! Aí eu congelo. Um pacote de massa faz 5  quentinhas.


Depois da lasanha foi a vez do requeijão. Mas esse foi pro almoço. Eu já tinha feito na véspera uns peitos de frango fantásticos na panela, e tinham sobrado. Eles e o purê de batatas.
Então, foi forrar o pirex que sobrou com o purê, colocar o frango e sobre ele o requeijão. Está pálido assim porque ainda não dourou, óbvio. Ficou no forno por uns 20 minutos. Delicia!!!!! Mas, no dia seguinte, ainda havia sobrado.. então anotem: peito de frango cozido e desfiado bem temperadinho com algumas azeitonas, purê de batatas em igual quantidade e meio pacote de requeijão com duas colheres de farinha. Faça bolinhas e as passe na farinha de trigo. E frite!! Olha, é bom demais da conta!!  Chega a dar raiva de tão bom!

Como existem queijos diferentes! Li o livro Cheese, mas foi a mesma coisa que se não tivesse lido. Lindas fotos, fala sobre queijo mas não tenho a mínima ideia sobre o que fala! Não fixei! Me lembrou uma tia minha que quando ligava lá pra casa era um problema. Coitado de quem atendesse! Ficava horas no telefone falando ran-ran-  ran-ran ouvindo uma voz monocórdica descrevendo, sei lá, baínha de saia amarela. Era uma loucura! A mulher era capaz de falar HORAS na mesma intonação, no mesma velocidade.. dava um sono. Enfim, esse livro é meio assim, mesmo tendo capa dura, sendo bonito, bem pesquisado, tem até umas receitas no final.. mas chato pra caramba.
Mas como há queijos no mundo! Para o queijo frescal, a solução foi fazer empadas , muitas empadas e congelá-las. Para a massa, uma xícara de farinha de trigo, duas colheres de manteiga, meia xícara de maizena, uma colher de chá de sal e água, até fazer a massa e já ir forrando as formas. O recheio é com 3 ovos, meia xícara de leite, uma colherzinha de chá de sal, meio queijo frescal e umas duas colheres de parmesão. Bater tudo e colocar em cima da forma.
Para a ricota, acho que também já falei aqui, uma torta de legumes ótima mesmo!! A massa é feita só de ricota com uma colher de farinha, é misturar e forrar .
O recheio é abobrinha, cenoura, cebola raladas, tudo refogado com azeite e sal. Misturar com um pouco de ricota e forrar e pronto!
Ainda há muito o que fazer, penso em pão de queijo, muffins.. e um queijo , oops, um beijo a todos!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Que abacaxi!

Quando meu filho passou um tempo nos EUA, travou o seguinte diálogo com a "mãe americana"
- Eu gosto de abacaxi, mas muitas vezes preciso colocar açúcar.
- Açúcar?- espantou-se a mulher- mas abacaxi já é doce!
- Nem sempre- esclareceu meu filho- às vezes ele está muito ácido.
-Nunca vi um abacaxi ácido-falou a  mulher. Veja, eu sempre uso dessa marca.
E mostrou um abacaxi enlatado.

Pois é, e ele explicou que abacaxi não nascia em latas, que antes estavam na terra, e, quando na terra, nem sempre eram doces etc e tal. 
Também adoro abacaxis! Mas não sei comprar. Raramente dou sorte. O caminhão surge repleto pelas ruas, oferecem-me fatias suculentas, transparentes, e eu faço todos os processos de escolha: cheiro, aperto, arranco uma folha, mas não acerto sempre, é mais fácil encontrar uma parte podre do que um abacaxi perfeito.
Ah! Lembrei: um dia, expliquei pro marido que ele tinha de arrancar a folha .. rá rá rá! Delicado e fraquinho do jeito que só o Shreck sabe ser, arrancou com a maior facilidade a coroa inteira do bicho!
Enfim, mas eu vi no blog A Cozinha da Janita a belíssima torta solstício! E comprei um abacaxi mais ou menos (a parte gordinha madura, a fina ainda verde , mas a parte gordinha estava com um amassadão marrom)  E fiz quase igual a receita! Em vez de banana passa, usei as bananas secas que tenho na geladeira, antes deixei-as de molho. E eu só tinha 4 bananas d´água.( ou nanica) E também minhas ameixas secas eram como os abacaxis americanos, em lata, mas ficou bem legal.  A versão do Cafezinho com biscoito ficou: um abacaxi, algumas ameixas em calda, 300g de banana seca hidratada, 3 bananas d´água e uma maçã.
Foi uma áfrica processar, preciso comprar um processador decente, o meu é pequeninho, então vai aos poucos, e gruda a tampa, um inferno. Mas existem tantas marcas, tantas voltagens que fico na dúvida e acabo não comprando! Alguma recomendação? Vi um Walita nas Lojas Americanas que está com um preço pagável e é apenas um processador fatiador. Não faz suco ,não telefona, não bate fotos. Mas será que é bom?

Então, aí forrei a forma de torta com papel manteiga (a forma ficou amarelada depois!) coloquei as rodelas de abacaxi com os miolos de ameixa, coloquei a papa de banana com o resto do abacaxi, as rodelas de maçã e o resto da papa. Cobri com papel alumínio e deixei meia hora em forno médio conforme a instrução. Mas achei pouco, aumentei o fogo e deixei mais tempo. Ficou bom!!

Doce, gostoso, bonito, doce  e sem açúcar!
Mas acho que da próxima vez vou trapacear:vou colocar uma meia xícara de manteiga derretida e sobre tudo e um pouco de açúcar mascavo tanto embaixo quanto em cima!
Obs.: tive de colocar nessa forma quando desenformei, pois havia suco. Mas aí, quando fui pegar a forma, e ela estava embaixo de tudo, dois pirex de vidro, os novos claro, foram ao chão............................................................... Caco de vidro pela casa inteira! Se eu fosse um Físico certamente teria aproveitado pra desenvolver a teoria do caos. Mas sou apenas uma escritora , professora aposentada que viu vidrinhos pela casa toda , brilhando como um conto de fadas, num DOMINGO (folga da Raquel) com uma cadela dentro de casa pois torceu o tornozelo..  

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Gostaria de ser caprichosa ,mesmo se não fosse em rosa.

- Ah, eu queria ter tido uma filha mulher, umazinha pelo menos -dizia a minha comadre-  E ela teria um quarto cor de rosa, tudo cor de rosa, cortina cor de rosa..  ia ser bom..

Mãe de dois meninos, assim como eu, sonhávamos com um pouco de frescura. Algumas horas depois, a conversa mudou um pouco e agora nos perguntávamos como reagiríamos se  algum de nossos filhos fosse gay, ao que ela prontamente responde:- Pelo menos teria um quarto cor de rosa!

A verdade é que apesar de ter achado interessante jogar futebol e brincar de carrinho, a cada festinha de aniversário de amiguinhas dos meninos eu só comprava brinquedo cor de rosa, com bastante flores, cheirinhos e purpurina.

Agora me distraio com a menina que me pediu:
- Tia, no meu aniversário quero um bolo de princesa..

Minha felicidade foi inenarrável!! Mas como fazer um bolo de princesa no meio do mato? Nessa internet maravilhosa aprendo que existe hoje em dia confeitos de cores fortíssimas para bolos, uma tal de pasta americana. No meu tempo era só glacê e de tons claros de anilina, em geral, com um leve gosto de limão. Também no já citado livro Assando Bolos em Kigali, leitura que recomendo embora o bolo entre no livro como Pilatus no Credo, a capa já é essa maravilha e os bolos são confeitados com cores fortes. Não sabemos muito do gosto, mas dá pra imaginar os confeitos.
Decidi: iria fazer um bolo cor de rosa de Princesa!
E me mandei pra cidade mais próxima onde comprei dois pacotes de mistura pronta de bolo Dona Benta de chocolate, coisa já testada, eu não poderia me dar ao luxo de errar a mão em data tão importante. E comprei a tal pasta americana, Pastamix e o corante gel cor de rosa.

No mesmo dia, recebo o telefonema da escola da menina, a cobrar, com o pedido de desculpas de ter ligado a cobrar porque estava sem crédito. A escola não tem telefone, tem um orelhão.  Confirmo a data da comemoração e envio convites para as crianças:
 A Princesa Jaqueline convida o Príncipe Heitor para a celebração de seu aniversário etc e tal. 
Cada criança da sala recebeu o convite nominal onde foi chamada de príncipe ou princesa conforme o caso.
E lá vou preparar o bolo!
Aí, o primeiro problema: descubro que o meu forno é uma droga ao cubo! O tal fogão Continental , baratinho, 4 bocas que está quebrando meu galho tem o pior forno já inventado! A parte do fundo do bolo afunda enquanto a da frente sobe! Pra completar, como minhas formas estavam amassadas, usei uma bonitona com antiaderente.. Rá!  Não adianta: queima a borda toda.
Vendo que o tamanho do bolo tinha sido drasticamente reduzido, decidi fazer um bolo de bolo mesmo, aí seriam três camadas...........Rá Dois! Tres queimadas e não três camadas... Cara, virou sola de sapato, a minha sorte é que eu sou chegada a uma sola de sapato moreninha, voltou para o forno em tiras e agora tenho ótimos biscoitos de bolo solado.

Quando a maré não tá pra peixe não adianta insistir. Entre as duas camadas de bolo um brigadeiro mole, certo?  só que esqueci de avisar ao fogo, então, enquanto me virei pro lado pra lavar a mão o brigadeiro queimou!! Dá pra acreditar num troço desse?  E grudou na panela e não saiu nem por decreto!
Mais uma lata de leite condensado na panela e dessa vez mexendo sem parar com a mão melada mesmo. Ufa!
Os bolos raspados de suas bordas queimadas, montados de maneira a equilibrarem os lados tortos , feios, horrorosos mas gostosos. E vamos ao confeito!

Alguém aqui já fez isso? Leio a embalagem e amasso a coisa dentro do saco plástico que é ABERTO, o que significa , evidentemente, que parte dela vai ao chão. Aí, sem noção alguma, meto dentro do saco plástico um pouco do gel corante. Quanto? sei lá, uma colher de sobremesa? E dá-lhe mistura e eu já achando que o melhor seria fazer um bolo com cobertura mármore, mesclado de branco e rosa, pois não via jeito da coisa ficar corada por igual.  Como dentro do saco plástico corante e pasta estavam como água e óleo, decido meter as mãos na massa.
Não tenho luvas plásticas.
Usei saco plástico.
A pasta vermelha, rosa, fúccia, branca grudou no saco plástico.
Tiro do saco e misturo nas mãos. Minhas mãos estão vermelhas. Que ninguém morra ou se fira pois vai ser difícil explicar!!!  Mas o esforço compensou, ficou tudo cor de rosa. Tudo MESMO. Eu disse TUDO.

Bem, seguindo as dicas da internet e da vendedora, tasco açúcar de confeiteiro na bancada. Quanto? Um monte . E lá vou eu com o rolo esticando a coisa .. cara, que  difícil! ou rachava ou grudava. E eu tinha separado uma parte pra forrar o castelo, pois princesa sem castelo não é princesa.. O castelo? um rolo da parte interna de papel higiênico com um cone de cartolina. Mas ninguém me explicou como é que gruda o raio da pasta no papel! Vejo lindos bolos, as pessoas explicando que abriram a massa e forraram o isopor... como?? Não gruda!!
Er.., não gruda no papel , porque na mesa, na mão, no cabelo, no chão aí gruda que é uma beleza! Finalmente consegui abrir a massa, toda torta, sem quantidade suficiente pra pegar o bolo inteiro. Rapidamente bati claras em neve com açúcar pra tampar buracos. E para tampar os buracos do açúcar, balas de coco cor de rosa!
Tudo torto, porque o que me sobra de boa vontade me falta no capricho, com rachaduras causadas por excesso de açúcar de confeiteiro na pasta e nas paredes, e Raquel achando lindo com esfregão, balde, mangueira, álcool pra retirar o pó fininho e branco que se espalhava no ambiente. O pó de açúcar branco também estava sobre o bolo, mas este foi espanado com um pincel culinário.

Apesar de seus esforços, as formigas encontraram caminhos. E eu dormi cheirando açúcar até a alma.
No dia seguinte, lá fomos nós pro Brasil. Ah.. Brasil! Somos realmente um milagre. 22 crianças nas mãos de uma única professora, e ela ENSINA! Estão estudando o fonema B e a professora levou bolha de sabão e vai declamar o poema da Cecília...

Então, uns três meninos rindo vieram se apresentar a mim:
-Oi ! Eu sou o Príncipe Bruno!
-Eu sou o Príncipel Heitor!


Acertei!!
E as crianças saíram pra brincar ainda com a letra B enquanto enchíamos as Bexigas (como aqui se chama as bolas de festa) e eu confeitava o Bolo com Balas.
E Bolo de princesa aconteceu! E gostaram e repetiram!
E Cada criança ganhou brindes, viva as lojas de 1,99! e comeram sanduíches de requeijão e presunto em copos de coca-cola!  E a vida vale a pena ! Se eu peco no capricho, vou deixar pra lá, o sorriso deles não percebe os erros!
Ano que vem vou fazer a casa de doce de Joãozinho e Maria!

(Onde é que posso comprar um quadro negro grande pra dar pro colégio? esse não dá nem pra usar de tão velho. )