quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Gosto de infância

Hoje chove e até estou de mangas.
Mas o calor estava forte, e ainda não tenho formas para picolé, então fiz suco de abacaxi em copo de requeijão, com uma rodela de abacaxi no fundo pra segurar o palito de sorvete. E ficou aquela coisa gostosa que eu tomava quando criança em Bom Clima. Chupava o suco doce e ficava só gelo!

E isso me lembrou delícias que só as crianças privilegiavam.
Queijo parmesão. Coisa rara e cara. E ao ralarem para o macarrão, aproveitando tudo, ficava o tiquinho entre os dedos. E a caçula aqui era a premiada! Ah! que delícia!
Também, no Natal, ao se desencaroçar as azeitonas, sobravam no caroço as pontas das azeitonas, claro que vinham pra mim!
Lamber as travessas de brigadeiro, claro.
E havia as doçuras feitas por nós, como bala de açúcar. Só derreter o açúcar, depois jogar no mármore já coberto com manteiga! a colher de pau sempre ficava com açúcar grudado..Diziam que havia bala de açúcar branca, com limão. Nunca vi. Acho que era lenda!
Também fazíamos paçoca. O amendoim era jogado na assadeira e torrava no forno. Depois, passado na máquina de moer carne, utensílio presente em todas as cozinhas, e misturado com açúcar.

Outra coisa gostosa.. pé de moleque! com amendoim e Karo! e também umas coisas boas que minha mãe tinha receita, flocos de milho com leite condensado no forno fazendo uns docinhos..
Enquanto recupero as lembranças, sorvete de gelo!


Um comentário:

Jussara Neves Rezende disse...

Mas que delícia de post, Angela! Comecei pelo peru recheado e vim descendo. Tive que parar aqui para dizer que amei essas suas lembranças da infância. Eu também vivia atrás dos caroços de azeitona que conservavam aquelas pontinhas!
Desculpe-me pela demora... mas eu AMO a Laura Ingalls. Minha pré-adolescência foi todinha marcada pelas aventuras dela (pois era como se fossem minhas). Infelizmente os livro que li não eram meus; o único que tenho é aquele a que me referi no post. Eu assitia à serie pela TV... e amava! E não sabia de mais ninguém que fosse louco por ela... tão bom te achar, mesmo depois de tanto tempo!
Infelizmente não tenho perfil no Facebook, então não tenho como visitar a página a que vc se referiu... mas andei xeretando as bonequinhas de papel da Laura! Eu nem sabia que existiam! Nessas horas amo muito a Internet e
tenho que dar razão ao Rubem Alves que disse que escrevemos para descobrir conspiradores, gente que respire o mesmo ar!
Linda semana nova!
Jussara